back to top
InícioDEFESA DAS MULHERESMulheres recebem orientações de saúde e combate à violência no CRAS Sul...
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Mulheres recebem orientações de saúde e combate à violência no CRAS Sul de Ilhéus

Nesta semana, aconteceu no CRAS Sul – Centro de Referência de Assistência Social –, um encontro entre mulheres, sob coordenação das secretarias municipais de Saúde, Política para as Mulheres e Promoção Social, com o objetivo de discutir questões cruciais relacionadas à saúde e bem-estar feminino.

Com uma abordagem acolhedora e informativa, as profissionais compartilharam valiosas orientações sobre autocuidado, prevenção de doenças e promoção da saúde mental. O público foi incentivado a adotar práticas saudáveis e a buscar apoio quando necessário, reforçando a importância de colocar o próprio bem-estar em primeiro lugar.

Além disso, o encontro não deixou de abordar um tema sensível, porém vital: a violência doméstica. Em um ambiente seguro e de confiança, foram discutidos sinais de abuso e estratégias para romper o ciclo da violência, enfatizando a importância de não se calar diante de situações de agressão.

Para as mulheres presentes, o evento foi mais do que uma simples reunião. Foi um momento de aprendizado, empoderamento e solidariedade. A troca de experiências e o suporte mútuo fortaleceram os laços comunitários e reforçaram o compromisso coletivo de promover uma sociedade mais justa e igualitária para todas as mulheres.

Veja Também  Marão apresenta pré-projeto do Novo Mercado Municipal de Ilhéus

O titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza, pasta que coordena o CRAS,  Robenilton Silva, explicou sobre o trabalho contínuo da Prefeitura de Ilhéus, de acompanhamento e assistência às mulheres ilheenses, a fim de garantir mais dignidade, segurança e bem-estar. “O trabalho de conscientização feito pela Prefeitura de Ilhéus por meio da nossa secretaria é contínuo já que os grupos de convivência possuem assistência anual, passando pela acolhida, escutando suas dores e levando orientação para que a garantia dos seus direitos seja efetivada”, afirmou o secretário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

POST SEMELHANTES

aconteceu

MAIS VISTOS